ZOOM HB: William Zimmermann

Enquanto você lê isso, o seu pensamento pode estar naquela onda que quebra a milhares de quilômetros de distância ou no próximo swell que vai entrar enquanto está sentado no escritório. Afinal, quem viaja e aproveita as ondas que você sempre quis são os surfistas profissionais, aqueles caras que sempre entram na maior da série e encaixam seis manobras na onda que você mal consegue encontrar uma. Mas você não se impressionaria com uma manobra deles sem os olhos de um William Zimmermann.

Residente da Guarda do Embaú, um dos principais picos de Santa Catarina, o catarinense hoje é um fotógrafo conhecido pelas suas imagens que têm um estilo próprio e original. Mas o fotógrafo não é tão diferente de você. Depois de trabalhar em um loja por dez anos, William sempre quis uma vida ligada ao surf, apesar de conviver com uma dificuldade comum há muitas pessoas que alimentam esse desejo: “Meu sonho sempre foi viver no meio do surfe, mas como surfista não dava... Sempre fui prego. O Ricardinho (Ricardo Santos) vivia me dizendo pra tentar algo novo e sair da loja”.

A reviravolta aconteceu enquanto William planejava suas férias. Depois de assistir um documentário sobre fotógrafos aquáticos de surfe, Zimmermann investiu o dinheiro que usaria em uma viagem para adquirir uma câmera, uma lente e uma caixa estanque. “Pesquisei bastante sobre os equipamentos e as técnicas e lá estava eu: na água tentando fotografar. Minha primeira sessão foi decepcionante. Todas as fotos saíram pretas, não dava pra ver nada (risos)”. E o resto é história: após muitas sessões e aprendizado, William pesquisou muito sobre a câmera e sobre técnicas para chegar ao ponto em que está hoje.

Abaixo, William separou algumas imagens para que você possa conhecer ele um pouco melhor. Para mais fotos, é só seguir os perfis @hbbrasil e @williamzimmermann no Instagram.

  1.       Descreva você mesmo

“No começo, ainda continuei na loja e fotografava nas minhas horas de folga. Aos poucos, comecei a vender as fotos pra galera. Até que decidi que era hora de me dedicar 100% a fotografia. Hoje, três anos depois, vivo exclusivamente do meu trabalho como fotógrafo”.

  1.       Sua melhor foto

“Meu sonho era ter uma foto na capa de uma revista de surfe e poder viajar com meu amigo Ricardinho. Felizmente, pude realizar esses sonhos e hoje me sinto realizado. Hoje, meu sonho é poder continuar vivendo da fotografia. E, com muito esforço, tem dado certo”.

  1.       Um momento de adrenalina

“O reconhecimento dos surfistas é muito legal. Quando alguém compra minha foto e me agradece por ter congelado aquele momento, me motiva muito”. 

  1.       Um lugar

“A fotografia me levou a lugares que sempre sonhei em conhecer como surfista e nunca pude. Lugares que eu teria que pagar um dinheirão pra conhecer e hoje sou pago pra trabalhar nesses lugares. Isso é muito gratificante”

  1.       O motivo que fez você virar fotógrafo

“Nem tudo são alegrias. No ano passado, no Uruguai, durante uma viagem de trabalho, tive todo meu equipamento roubado: cerca de R$ 40.000. Também já perdi duas câmeras por vazamento da caixa estanque. Até hoje estou me recuperando desses prejuízos e, graças a ajuda de muitas pessoas, estou conseguindo me reerguer. Ao longo da minha carreira, tive muitos aprendizados: respeitar os profissionais do ramo, saber negociar o trabalho, se valorizar, fazer seguro do equipamento e ter uma boa relação com o surfistas e com o mercado de trabalho”.