Do iniciante ao profissional: confira as dicas de Bruno Santos para você surfar na Indonésia e na Austrália

Todo dia que você acorda, você se imagina pegando a onda perfeita. Um mar sem crowd, a água cristalina, os tubos quebrando alinhados, você dropando suavemente... Com certeza você está sonhando com uma onda da Austrália ou da Indonésia. Mas assim como você sonha com ela, você também sabe que não é fácil entrar em um mar desses. Afinal, uma bancada de coral ou a velocidade da onda podem surpreender você. Se é para surfar em um pico assim, você tem que saber exatamente o que vai enfrentar. E Bruno Santos tem todas as dicas para ajudar.

Com viagens ao redor do mundo todo em busca das ondas mais perfeitas para o surf, Bruninho acumula o conhecimento de quem é praticamente um nativo na Indonésia. Depois de morar em Bali durante o último ano, pedimos para que Bruno Santos indicasse algumas ondas para diferentes níveis de surf na região em que morou. Entre as ondas que ele surfou e que ainda quer surfar, estão alguns picos conhecidos e outros nem tanto. Então se você algum dia pensou em surfar do outro lado do mundo, confira as dicas que o nosso tube rider tem para a sua viagem:  

  • INICIANTES

“Na Indonésia, uma onda que aconselho para os iniciantes é a de Padang. Não a principal (a esquerda), mas a onda do lado direito do canal. É uma ondinha super divertida e na maré cheia é perfeita para quem está iniciando, tanto é que tem várias escolinhas de surfe por ali. Na Austrália, existem vários beach breaks que são ótimos para quem está começando. A região da Gold Coast é um dos melhores lugares. Lá os iniciantes podem cair em Surfers Paradise, Duranbah e Currumbin, além de diversos outros picos”.

 

  • INTERMEDIÁRIO

“Para quem já tem um nível de surfe um pouco melhor, as opções aumentam nos dois países. Em Bali, tem a onda de Uluwatu, que é o local perfeito. Com a maré cheia, a onda continua muito boa para manobras, tem uns tubos perdidos e a bancada não fica tão rasa. É uma boa onda para quem ainda não se aventura em ondas grandes.

Na Austrália, você pode procurar picos com fundo de pedra ou coral, onde a onda quebra mais perfeita e regular do que nos beach breaks. Talvez uma das principais opções seja cair em Snapper Rocks ou em alguma das praias da região. Apesar da crowd, você pode dar sorte e pegar um dia de ondas eternas que vão de Snapper até Kirra, no que é conhecido como o ‘Superbank’”.  

 

 

  • AVANÇADO

“Aqui podemos falar sobre o meu lugar favorito na Austrália, que é o lado oeste do país. Na ‘West Australia’, temos ondas durante o ano todo A maioria delas quebra em locais mais afastados da cidade e muitas exigem um nível de surf mais avançado, seja pelas bancadas, pela força das ondas ou até pela chance de encontrar alguns tubarões. Main Break e The Box, na região de Margaret River, são duas ondas alucinantes. Eu tenho o sonho de surfar em Gnaraloo, em Tombstones, que é uma esquerda cavernosa, rasa e super tubular no meio do deserto australiano.

Na Indonésia, eu indico novamente Padang. Mas agora para a principal onda do pico, que é a esquerda. Apesar de ser uma das mais perfeitas de Bali, o momento do drop é bem tranquilo. A onda só fica cavada no meio do caminho, na segunda sessão”.  

 

  • PARA TREINAR A PERFORMANCE EM TUBOS

“Para quem quer treinar a performance em tubos, pode buscar opções em praticamente todas as ondas da Indonésia, sempre de olho na maré. Uluwatu tem duas sessões muito boas: Inside Corner e Temples. Nas marés certas, caem altos tubos. Mas com um fundo de coral bem afiado e raso, não é uma onda para iniciantes”.

 

 

  • PARA TREINAR MANOBRAS 

“Para quem quer treinar manobras e aéreos, o local é Canggu. É uma rampa perfeita para aéreos e caem altos tubinhos também.  Ela é a opção perfeita para quem quer manobrar pois proporciona espaço para rasgadas, batidas, floaters, aéreos… É uma das ondas mais high performance de Bali”.

 

Para acompanhar as melhores ondas de Bruno Santos, é só seguir os perfis @hbbrasil e @bruninhosantos no Instagram.  #JoinTheAdrenaline